Páginas

21 outubro 2013

Ciclo de Amor

Há uns tempos a jornalista Laurinda Alves, no seu blog, publicou o seguinte texto:
«O MAIOR PRESENTE DA VIDA? Poder ter os meus pais a morar comigo naquele que é seguramente o último ciclo da vida deles, e podermos todos fazer esta escolha com liberdade e sem aflições. Ou seja, sem ser em estado de emergência, estando eles ainda com saúde e muita autonomia. Não concebo maior dádiva do que esta, e sei que muitos filhos gostariam de poder fazer o mesmo com os seus pais em vez de os visitarem à pressa na vertigem dos dias ou, pior, de os irem ver ao hospital ou a um lar de onde é impossível não sairmos sempre meio desolados. Confesso que o testemunho que os meus próprios pais deram, quando trouxeram os meus avós para nossa casa, me marcou para o resto da vida. A minha querida-adorada avó Laurinda morreu na sua cama, no seu quarto, em nossa casa, rodeada por toda a família alargada e numerosa. Não consigo imaginar uma morte mais tranquila. Deus queira que este nosso ciclo familiar ainda seja longo e feliz, mas há muitos anos que sonhava com isto. Comove-me a realização deste sonho e se há pais que merecem este suplemento de alegria e ternura, são pais como os meus. E há muitos como eles, felizmente. Amanhã, depois e depois estamos em mudanças. Muito cansativo, mas muito bom.»

Estas palavras tocaram-me bem fundo na alma.

Também eu me lembro de, em criança, presenciar o tratamento e cuidado dado aos idosos da família. A memória mais antiga vai para a minha bisavó Mariana. Lembro-me de olhar com um grande respeito e admiração aquela que era então a matriarca da família, sentava-me junto dela e ouvia as suas histórias de vida sem nunca me cansar. Viveu os seus últimos dias juntos dos seus filhos sempre rodeada de muito amor e carinho com todo o respeito que lhe era devido. Rodeada de amor deu o último suspiro na sua cama. Foi também assim com quase todos os meus avós e bisavós, a excepção para a minha avó materna que contra sua vontade faleceu no hospital longe da sua cama e da sua casa.


(desconheço a origem desta imagem  bem como o seu autor, se alguém souber agradeço que me diga para poder colocar os respectivos créditos)
Aqui pela horta, o nosso projecto de vida teve sempre em atenção os nossos pais ( agora apenas os meus, visto que os meus sogros já faleceram). Quando construímos a nossa casa reservámos uma parte de casa para os meus pais, um quarto com casa de banho e uma sala com "kitchenette".  Casas separadas, porque a privacidade de cada um é importante.
Por agora os meus pais continuam a ter a sua casa e a ir e vir sempre que lhe apetece. Inicialmente estavam mais tempo lá do que cá, agora passam cada vez mais tempo connosco. Começam a sentir esta também como a sua casa e a sentir-se mais acompanhados agora que o "crepúsculo dos deuses" se começa a adivinhar. Por outro lado têm o enorme privilégio de acompanhar o crescimento dos netos e sentem-se muito felizes com isso. Para as crianças têm sido também tempos especiais estes de comunhão com os avós. Para mim tem sido reconfortante senti-los por perto  e saber que todos estão felizes, avós e netos.

Estará ainda longe a necessidade de cuidados dos meus pais, assim o espero, mas quando for necessário cá estarei para cuidar deles tal como eles um dia cuidaram de mim.
É o fechar de um ciclo de amor.

14 comentários:

  1. Emocionei-me imenso ao ler este post. O meu coração ficou do tamanho de uma formiga. Infelizmente, é com uma imensurável tristeza que eu não tenho como ter os meus pertinho assim. Tenho um t2 para 4 que para agravar fica num 2º andar sem elevador. Tristemente os meu pais, neste momento, nem como visita os posso ter. Queria tanto poder tê-los assim pertinho como a Luisa e a Laurinda.

    Beijinhos e parabéns por este post tão lindo de afetos, de amor!

    ResponderEliminar
  2. Emocionei-me imenso ao ler este post. O meu coração ficou do tamanho de uma formiga. Infelizmente, é com uma imensurável tristeza que eu não tenho como ter os meus pertinho assim. Tenho um t2 para 4 que para agravar fica num 2º andar sem elevador. Tristemente os meu pais, neste momento, nem como visita os posso ter. Queria tanto poder tê-los assim pertinho como a Luisa e a Laurinda.

    Beijinhos e parabéns por este post tão lindo de afetos, de amor!

    ResponderEliminar
  3. Amei o post, aliás, essa é a mesma ideia que eu tenho em relação ao nosso projecto :D a proximidade das gerações que benecifia todos, sem exclusão. O que a nossa sociedade faz é excluir, especificar, rotular... É preciso quem pense de forma diferente. Quem esteja disposto a fazer diferente!!
    Beijinhos e Obrigada!!!

    ResponderEliminar
  4. que lindo post, e que belo modo de ver esse período da vida

    Abraço,

    **rita

    ResponderEliminar
  5. Também me tocou bastante, este texto. Parabéns pelo vosso projecto de vida, pelos meios que criaram a pensar "no futuro" e por toda a filosofia de vida que tens partilhado aqui no blog. É inspirador, acredita!

    Um beijinho

    ResponderEliminar
  6. Luisa, fiquei feliz em ler sua mensagem visto que estive em visita numa clinica para idosos e foi simplesmente horrível (praticamente um choque, a forma como são "tratados"), farei um link para a sua postagem na minha próxima. Parabéns, beijinho, Dani

    ResponderEliminar
  7. Luísa você foi citada! Beijo, Dani
    http://dani68historias.blogspot.com.br/2013/11/clinica-e-anti-clinica.html

    ResponderEliminar
  8. Já montou sua árvore???
    Trouxe uma para você!!!

    ___________________Paz
    __________________União
    _________________Alegrias
    ________________Esperanças
    _______________Amor.Sucesso
    ______________Realizações★Luz
    _____________Respeito★harmonia
    ____________Saúde★..solidariedade
    ___________Felicidade ★...Humildade
    __________Confraternização ★..Pureza
    _________Amizade ★Sabedoria★.Perdão
    ________Igualdade★Liberdade.Boa-.sorte
    _______Sinceridade★Estima★.Fraternidade
    ______Equilíbrio★Dignidade★...Benevolência
    _____Fé★Bondade_Paciência..Gratidão_Força
    ____Tenacidade★Prosperidade_.Reconhecimento

    - ¨.•´¨) . ×`•.¸.•´× (¨`•.•´¨). ×`•.¸.•´× (¨`•.-
    - ¨.•´¨) . ×`•.¸.•´× (¨`•.•´¨). ×`•.¸.•´× (¨`•...“:)


    Feliz Natal!!!

    ResponderEliminar
  9. Votos de um Próspero Ano Novo 2014!
    http://www.pratocaseiro.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  10. Encontrei o seu blogue por acaso e vou com certeza visita-lo mais vezes. Votos de um bom ano 2014!

    ResponderEliminar
  11. Pude desfrutar o presente de cuidar de minha mãe até o dia de sua partida, que de mãos dadas comigo ela se foi. Não foi uma época fácil, ver aquela que sempre me incentivou, apoiou, carregou, ali , frágil, dependente de mim. As vezes ela me olhava e dizia:-agora vc é quem dá as ordens, né minha filha linda! agora vc vai poder descontar todas as vezes que te dei ordens...e ria.
    Foi um presente o tempo em que ela foi para minha casa e eu pude fazer todas as suas vontades, deixar meu marido na cama no meio da noite e ir me deitar no quentinho macio dos seus braços, cozinhar para ela todas as gostosuras que ela tanto adorava.
    Foi o maior presente que Deus me deu depois da minha vida, foi deixar eu dedicar dias de minha existência a quem mais me amou .
    Bjs e adorei o post, a imagem retrata a realidade de quem cuida de seus progenitores.

    ResponderEliminar
  12. Tanto a refletir neste post!!! Tanto que precisamos de parar para perceber o que é realmente importante... Nem sempre conseguimos o ideal que seria esse mas podemos lutar por ele até ao final das nossas forças...!
    Vamos ficar por aqui!

    Maria Terra

    ResponderEliminar
  13. Bonito o texto da Laurinda Alves, que não conhecia, mas também gostei muito das suas palavras (e sobretudo das acções!). Nós agora estamos com os nossos Avós e, quando for necessário, também cá estaremos para os nossos pais.

    ResponderEliminar