Páginas

08 outubro 2012

O Desabrochar do Nenúfar

Começámos por desenhar um octógono e depois desenhámos uma circunferência com o mesmo centro mas maior de forma a desenharmos as pétalas do nosso nenúfar. Para esta operação, como não podia deixar de ser, utilizámos régua e compasso.

Depois de recortada a nossa flor foi fechada e colocada na água para a ver abrir. Diante do olhar de alegria das crianças (e do meu) o movimento foi tão rápido que nem deu tempo de posicionar a máquina fotográfica a tempo para apanhar a abertura da flor. 



Tornámos a repetir a experiência mas desta vez com o papá por perto para lhe mostrarmos como funciona. Mais uma vez o movimento rápido mas um acidente fez com que duas das pétalas necessitassem de ajuda para desabrochar. Fomos à procura da causa da "deficiência" no movimento e descobrimos que na excitação de largar o nenúfar na água duas das pétalas ficaram salpicadas fazendo com que ficassem "coladas" e logo não abrissem. 


Conclusão:
As fibras do papel absorvem água e expandem-se desdobrando o papel e fazendo com que as pétalas da flor se abram.  

Livros que lemos e link que utilizámos:

  • Compêndio de Desenho - Prof. Rogério de Andrade - Livraria Sá da Costa
  • A História da Folha de Papel - Odile Limousin - Civilização/Círculo de Leitores
  • Arvind Gupta Toys - Bee in Flower


Sem comentários:

Enviar um comentário