Páginas

02 dezembro 2010

O Renascer das Cinzas

Com o frio que tem estado todos os dias acendemos a lareira, logo temos muitas cinzas, que são óptimas para espalhar na terra. Mas desta vez o que eu quero, é fazer  líxivia, a original que deu o nome à actual mas que nada tem a ver uma com a outra. Líxivia de cinzas, que era obtida através da lavagem da roupa com cinzas. Colocava-se a roupa no barreleiro por cima um lençol velho onde se colocavam as cinzas e depois vertia-se água a ferver por cima das cinzas que passava para  a roupa e de seguida era aproveitada num recipiente colocado por baixo do barreleiro. A minha avó e muitas das vossas assim fizeram para ter a roupa impecavelmente limpa e sem nódoas. A água de cinzas apanhada do barreleiro era posteriormente utilizada na limpeza da casa e também na confecção de sabão.
Utilizei uma receita muito simples que retirei daqui. Uma parte de cinzas peneiradas para três de água, de preferência destilada, levar ao lume até ferver e esperar de 12 a 24 horas para filtrar e poder utilizar. Não é poluente e o custo quase zero.
Nota importante: A segurança está em primeiro lugar por isso tenha em atenção alguns cuidados a ter:
Identifique bem o recipiente que contém a lixívia.
Não a deixe ao alcance das crianças.
Se houver contacto com a pele convém utilizar vinagre como neutralizador sobre a área afectada.
Não utilize utensílios de alumínio.
cinzas peneiradas

água ao lume com as cinzas

24 horas depois toda a cinza está no fundo do tacho

coei a lixívia para evitar qualquer impureza na produto final

a lixívia de cinzas
Ainda não a utilizei, assim que o fizer partilharei os resultados da experiência.

23 comentários:

  1. Agora é que me surpreendeste, não conhecia essa.

    ResponderEliminar
  2. Todos os dias me fazes lembrar tempois idos...tb a minha Mãe fazia estas barrelas e acredita que a roupa ficava imaculadamente branca...quando for viver para o campo vou fazer tudo isso como tu...o pior é que se esse sonho se realizar já ando de bengala e nem para me coçar hei-de ter forças....hehehehe
    Beijinhos brancos como essa tua lixivia

    ResponderEliminar
  3. As coisas que tu fazes :-))
    Eu nunca imaginei que isto era possivel!!

    Eu aproveito as cinzas para a terra.

    Beijocas

    ResponderEliminar
  4. Bem, que dica!!!
    Usas esta lixívia também na máquina???

    ResponderEliminar
  5. Susana a verdade é que é a primeira vez que a estou a fazer.
    Ainda nem a experimentei! Quando experimentar partilho.
    Não queres experimentar também? podiamos trocar experiências.
    Que dizes Susana?

    ResponderEliminar
  6. Interessantíssimo!

    Esta nunca tinha ouvido falar!

    O que se aprende por aqui... sim sra!

    eh eh

    Beijos

    ResponderEliminar
  7. não fazia a mínima ideia que isto era possivel sabia que antigamente a cinza era uzada para lavar roupa, mas que havia esta possibilidade também, foi uma surpresa!

    ResponderEliminar
  8. Fantástico, Luísa!
    Se tivesse lareira, também seguia o exemplo.

    ResponderEliminar
  9. Nem imaginas há quanto tempo e procurava essa receita! Obrigada!
    Bjs

    ResponderEliminar
  10. Gostei da tua ideia de experimentar e partilhar. Também tenho «toneladas» de cinza da lareira, que em parte aproveito para a horta, mas a verdade é que é mesmo muita...
    Vou fazer a experiência e depois logo te digo, ok?

    Mudando de assunto, gostava que fosse a http://aquiharuralidade.blogspot.com/ receber o teu selinho!

    Beijo.

    ResponderEliminar
  11. Fantástico Luísa!!!

    Não conhecia, quando for lá a cima vou perguntar à minha avó se conhece.
    Se estivesse lá em cima experimentava.

    Beijinhos.

    ResponderEliminar
  12. Fiquei interessada, tenho sempre cinza da lareira.

    Em que situações se pode usar?

    ResponderEliminar
  13. Gaspas: Estou a pensar usar esta primeira experiência na lavagem das casas-de-banho. Depois partilho como funcionou.
    bjs

    ResponderEliminar
  14. Olá!
    Vou experimentar este fim de semana e logo te digo como correu!
    Bjs

    ResponderEliminar
  15. Olá,
    Adoro visitar o seu blog. Também moro no campo, no Brasil e adoro experimentar receitas naturais e ecológicas. Vou experimentar esta. Depois te conto o resultado.
    Eu também tenho um blog com vários textos, caso queira nos visitar: http://saladamistica.blogspot.com
    Abraços. France.

    ResponderEliminar
  16. Assim é que é!
    Haja sempre alguém que dê ideias úteis e práticas, as quais, podemos partilhá-las com outras, que venhamos a descobrir.

    ResponderEliminar
  17. Olá, Luísa. Estou encantada com o seu blog! Encontrei aqui muitas receitas fantásticas, que ajudam a eliminar o uso de químicos nas nossas vidas diárias. Obrigada pela partilha das suas experiências.

    Tenho algumas dúvidas quanto a esta receita, se puder esclarecer-me, agradeço. O que você faz com os restos da cinza depois de coá-la? Deita-os no lixo ou vão para a compostagem? E quanto à cinza, é exclusivamente de madeira? É que quando cozinho no forno a lenha, lá na aldeia, para acender o lume uso alguns cartões, rolos de papel higiénico e jornais. Será que isso diminui a qualidade da cinza?

    Obrigada pela sua atenção, tenha um excelente dia!
    Lucia

    ResponderEliminar
  18. para provar que o seu blog está sempre actual..estou neste momento a ferver as minhas cinzas..ehehe

    estou é com dificuldades para "coar" as cinzas..que usou???

    ResponderEliminar
  19. Olá Luísa,

    Vim rever as quantidades da receita porque já não me lembrava, vou experimentar a fazer.

    Bom fim de semana

    ResponderEliminar
  20. Adorei! Será que posso usar para por roupa branca de molho e assim clarear?

    Obrigado pela partilha

    ResponderEliminar
  21. Antes demais peço desculpa pelo atraso nas respostas, mas como estive afastada dos blogs por um tempo estas perguntas passaram-me completamente só hoje depois da pergunta da "n sei ainda" me dei conta que havia mais perguntas.

    Lucia: O ideal é usar madeiras como o sobro ou o azinho para a obtenção de melhores resultados. Eucalipto e pinho são madeiras a evitar. Quanto a acender o forno com papel penso que dependerá do papel, se for papel tipo o interior dos rolos de papel higiénico parece-me a mim mais inofensivo do que se for um jornal ou uma revista (que tem tintas entre outros). Mas o ideal mesmo é acender com pinhas e mato, para que no final se possa obter um produto o mais livre de químicos nocivos possível.

    traquinasmother: Já vou tarde com certeza ;-)Por cá depois de assentar filtro através de um paninho.

    Paula_2700milhas - Como correu a experiência?

    n sei ainda - nunca experimentei na roupa. Utilizo-a para limpar as casas de banho (nunca mais usei outro produto). Penso que para funcionar na roupa, muito provavelmente, terás de por a roupa a corar ao sol (como faziam as nossas avós) depois de estar impregnada de lixívia. Mas não posso garantir.


    ResponderEliminar