Páginas

18 novembro 2014

100 de 365 Dias da Horta Encantada

Hoje faz cem dias que  todos os dias aqui no blog coloco uma foto que me inspirou o dia. Às vezes só a foto outras a acompanhar um pequeno texto, um poema, uma frase que tenham de alguma forma marcado o dia.
Cem dias que me tento centrar no lado luminoso da vida..... e que difícil que são alguns dias.
Não porque a vida em si não seja luminosa, mas porque o seu lado negro também é forte e o equilíbrio por vezes difícil.
Cem dias em que começo a entender que a luz e a sombra são ambas faces da mesma moeda, que ambas fazem parte de nós como o ar que respiramos e o sangue que nos corre nas veias.
Cem dias em que procuro viver o dia a dia. Viver o momento presente. Não pensando no passado, nem no futuro, embora ambos existam agora no presente. Tudo o que nos acontece tem um passado, tudo o que nos acontecerá tem um presente.
Cem dias em que começo a sentir que, isto da meia idade, é um balanço avassalador. Que com certeza na mesma medida em que nos corrói, também nos torna mais fortes. Altura em que ficamos a saber (embora sempre soubéssemos) que somos finitos e que se calhar temos para viver menos dias do que aqueles que já vivemos.  Altura em que a pele de pêssego de outros tempos desaparece e começa a dar lugar a um mapa de estradas da vida bem desenhado no nosso principal cartão de visita, o rosto. Altura em que compreendemos que estamos a ficar velhos por todos os pequenos e grandes sinais que o corpo demonstra. É como um parto de nós mesmos, em que no final esperamos sair fortalecidos.
Cem dias em que apesar de tudo sou feliz. Feliz porque tenho a melhor família do mundo que amo sem limites. Uns filhos maravilhosos que nem em sonhos poderia um dia imaginar que me estavam destinados, um marido que é a minha outra metade aquele que me completa e compreende como ninguém, para além de marido é o meu melhor amigo que amo do fundo da minha alma.

100 dias de 365, venham muito mais.

Ler pela ordem que se quiser.

4 comentários:

  1. Passei por aqui e retive a frase " somos finitos e se calhar temos para viver menos dias do que aqueles que já vivemos " pois é, penso nisso algumas vezes mas depois afasto a ideia " o dia de amanhã a Deus pertence " vamos viver o dia de hoje mesmo que não seja um dia risonho, este dia é único, não volta. Um abraço.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sem dúvida Aliete, o futuro é uma incógnita. Viver no presente e apreciar cada momento da vida é o que tento fazer diariamente :-) Obrigada pela visita e pelas palavras :-)

      Eliminar
  2. Escrevi, escrevi, li e apaguei. Não preciso escrever nada.
    As minhas palavras não vão acrescentar nada. Identifico-me com tudo o que está escrito ali em cima. :D

    ResponderEliminar